A doença que afeta mais de 322 milhões de pessoas em todo o mundo pode ser um sintoma de alerta para uma busca de significado e de conexão pessoal entre nosso mundo interno e o mundo externo

 

De acordo com relatório divulgado em janeiro de 2017 pela  Organização Mundial de Saúde (OMS) estima-se que existam no mundo 322 milhões de pessoas, ou 4,4% da população global sofrendo de depressão, alta de 18,4% entre 2005 e 2015.

No Brasil, a prevalência do distúrbio é de 5,8% – muito acima da média mundial e no topo da lista entre os países da América Latina. São 11.548.577 brasileiros que sofrem de depressão. Em números absolutos, o País fica atrás apenas da China e da Índia — ambos com população superior a 1 bilhão de habitantes — entre os países presentes no relatório. Em termos relativos, o Brasil fica atrás apenas da Ucrânia (6,3%), que convive com conflitos armados desde 2014, Estados Unidos (5,9%), Austrália (5,9%) e Estônia (5,9%).

De acordo com a OMS, a depressão é a principal causa de mortes por suicídio, com 800 mil casos por ano.

Momento depressivo global

Para a psicóloga Danielle Vieira (CRP 06/13137), é comum ouvir falar que a depressão é o grande mal do século, e não é à toa. Além dos dados alarmantes divulgados pela OMS as pessoas vivem em um momento depressivo em nível global. “Basta olhar para o lado e é possível ver que estamos antes de mais nada na era do ter ou do parecer, em vez de ser. Esse comportamento da sociedade em geral eleva demasiadamente o nível de insatisfação e desconexão com o Self ou seja, o ser, levando à essa onda massiva de depressão e falta de significado”, explica a especialista.

Ela afirma que o grande desafio da vida é a busca de significado entre o mundo externo e o mundo interno, ou seja: quem realmente eu sou e quem sou eu no mundo.

Na raiz psicológica da depressão, encontra-se uma insatisfação do Ser em relação a Si mesmo, que não foi solucionada, foi ignorada. Esses sentimentos de desencaixe, falta de sentido, vazio existencial e tristeza sem causa aparente geram um sofrimento psíquico cada vez maior.

A depressão é um sintoma

A depressão é um sintoma. Um sintoma que alerta de que algo está fora de sintonia, que seu mundo interno está desconectado de seu mundo externo.

A dor física é o registro consciente da dor que afeta o dia a dia e, muitas vezes, quando  impossibilita de realizar alguma atividade importante, como o trabalho, é que  chama a atenção para algo que pode estar errado.

“Quando temos uma dor física, vamos ao médico e fazemos exames para descobrir a causa. Assim se dá também com nossas dores mentais e dores da alma, tal qual a dor física ela não pode ser retirada ou anestesiada logo de imediato, precisa ser sentida, ela será o guia que dará caminhos para o diagnóstico e tratamento”, comenta ela.

O grande desafio para superar a depressão é conseguir mergulhar fundo em si mesmo e buscar significado em seu mundo interno para então poder modificar o mundo externo.

Pergunte sempre para você mesmo:

– Se eu não tivesse que agradar ninguém, ou não tivesse que ganhar dinheiro, o que eu faria da minha vida? Quem eu seria?

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY